Embrascon

BLOG DO JOSÉ AFFONSO

José Affonso F. Barbosa é atualmente presidente da Embrascon, foi Presidente da Barmes Engenharia Ltd., foi Diretor Geral da Fundação Getulio Vargas. Engenheiro Civil pela Escola Nacional de Engenharia (UFRJ), especializado em Planejamento Global de Empresas pela Fundação Konrad Adenauer (Munique); Análise de Valor pela Society of American Value Engineers (EUA); Desenvolvimento Humano pela World Business Academy (EUA) e Palestrante Convidado pelo Project Management Institute (EUA), com trabalho publicado nos Proceedings do Seminário Internacional realizado em Denver, Colo., EUA.
Mentor da Economicidade desde a sua criação, na década de 70, possui trabalhos internacionais publicados: “A holistic approach for management”; “Improved project management, a humanistic approach” e “Interdependence: a basic assumption for the building of human values”. Em seus trabalhos de consultoria, já economizou mais de três bilhões de reais para as empresas contratantes com a aplicação das técnicas de Economicidade, expostas à comunidade empresarial no livro “A 1ª lei: eficácia e economia na gestão de empresas”, com prefácio do Professor Antonio Damásio, da Universidade da California do Sul (USC-EUA).
Seus trabalhos foram citados em livros publicados nos E.U.A., como Merchants of Vision, de Jim Liebig pela Editora Berret Khoeler, e Managing with the Wisdom of Love, de Dorothy Marcic pela Editora Jossey Bass.

PREFÁCIO DO LIVRO “A PRIMEIRA LEI”  , DE JOSÉ AFFONSO 

Os mundos da economia, dos negócios e do marketing tem negligenciado a emoção e o sentimento por tempo demasiado longo. Deve ser dito que este não é um problema isolado. De fato, na maior parte do século XX, a ciência simplesmente negligenciou a importância da emoção e do sentimento e do papel que este fenômeno provavelmente teria nas atividades humanas tanto nos níveis sociais quanto nos pessoais.
Esta tendência somente começou à mudar na última década que, curiosamente, coincidiu com a Década do Cérebro. Agora está bem claro que a emoção e o sentimento voltaram a integrar a agenda científica e estão fazendo, da mesma forma, o retorno da filosofia. Mais enfaticamente, no entanto, podemos dizer
que a emoção e o sentimento estão voltando a fazer parte das atividades que podem ser aplicados com enorme vantagem para valorizar mais a vida. José Affonso demonstra ser o pioneiro na aplicação da emoção e do sentimento no campo dos negócios. Ele reflete cuidadosamente acerca dos resultados alcançados pela  neurociência e pela psicologia e  sugere caminhos para aplicar o novo conhecimento em um campo no qual  é um expert.

Antonio Damasio
Professor e diretor do Brain and Criativity Institute na Universidade da California do Sul,EUA
Autor de "O Erro de Descartes”, "O Mistério da Consciência” e “ Em Busca de Espinoza”

A criatividade na empresa – Parte 3

25 junho 2014
0

A ambiência criativa é um espaço de reflexão que, culturalmente, não é permitido durante as horas de trabalho. É importante frisar que está cientificamente comprovado que a alta produção de soluções, de maior valor e melhor qualidade, acontece quando se reúne um grupo de pessoas que formem um campo dinâmico produtivo para criarem soluções que resolvam problemas da empresa. A CRIATIVIDADE E A DINÂMICA DE CAMPO A teoria da dinâmica do campo (Field Theory) foi apresentada e divulgada nos anos 30, do século XX, por Kurt Lewin. O campo dinâmico é criado quando duas ou mais pessoas...

A criatividade na empresa – Parte 2

06 junho 2014
0

A influência da dinâmica do campo Um dos pressupostos básicos para ser alcançada a eficácia na criatividade é o desenvolvimento de um “campo dinâmico”, como apresentado por Kurt Lewin, em torno de 1933, na sua Teoria de Campo (Field Theory). Mais tarde alguns de seus conceitos foram aprofundados, entre outros, pela psiquiatra Kathleen Logan-Prince em seu livro “Mind-Free”, de 1995. Após estudar estas referências posso ser bem assertivo: é o oposto do tipo de “campo dinâmico” encontrado nas reuniões em nossas empresas. Um campo dinâmico, ou campo de forças, é construído...

A criatividade na empresa – Parte 1

30 maio 2014
0

O assunto criatividade nas empresas tem sido objeto de inúmeras pesquisas. No início, estas pesquisas estavam atreladas às pesquisas sobre inteligência, já que se acreditava que a criatividade aumentaria com o aumento da inteligência. Segundo o famoso psicólogo americano J.P. Guilford “o exame do conteúdo dos testes de inteligência revelaram muito pouco de que existia algo de natureza criativa; muitas pessoas acreditam que o talento criativo deve ser creditado à inteligência elevada ou alto QI. Esta concepção não só é inadequada como também foi a responsável pela falta de progresso...

A interpretação da informação é mais importante do que a própria informação?

20 maio 2014
0

Em princípio parece absurdo. Mas não é. Pelo menos é o que eu aprendi após 30 anos praticando consultoria de planejamento estratégico e nos debates que fomentei no Curso desta disciplina no IAG-Master da PUC/RJ, quando lá lecionei. Os primórdios do processo de planejamento estratégico, segundo meus arquivos, foi divulgado no livro “Strategy and Structure”, do professor Alfred D. Chandler Jr. , em 1962, pela editora do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT), EUA. Como o nome indica do livro indica, ele defende a tese de que a estrutura só deve ser desenhada depois de definida...

1 2 3 4 5 6